terça-feira, 28 de agosto de 2012

Folhados de salsicha com mostarda


  • massa folhada
  • salsichas de cocktail
  • mostarda qb
  • leite para pincelar
Em dias de festa não podem faltar uns folhadinhos de salsicha na mesa.
Estes foram feitos para a festa de aniversário do meu filhote e garanto-vos que foram devorados em três tempos.
Estende-se a massa folhada numa bancada, sobre o papel vegetal ou sobre uma superfície enfarinhada, cortam-se pequenos rectângulos à medida da salsicha e pincela-se com um pouco de mostarda. Enrola-se e pincela-se com um pouco de leite.
Vai ao forno até ficarem dourados.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Mini Gelados de Morango


  • 10 Morangos
  • 1 iogurte natural
  • 1 pacote de natas
  • 4 c. sopa açúcar
A vontade de fazer gelados já andava por aqui há muito tempo, mas ainda não tinha encontrado umas forminhas que me enchessem as medidas.
Agora que já tinha as forminhas tinha de por mãos à obra.
Lavar os morangos e retirar o pé, cortar em pedaços e colocar no copo da varinha mágica. Juntar iogurte natural ou de aroma de morango e triturar.
Bater as natas bem frias e juntar aos poucos o açúcar.
Envolver com o preparado de iogurte e morango e colocar dentro das formas. (Rendeu 10 mini gelados)
Colocar no congelador.  

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Doce de Morango


  • 2 kg Morangos
  • 0.5 kg açúcar gelificante
  • 0.5 kg açúcar branco
  • sumo de 1/2 limão 

Qual é o doce, mais doce deste Verão?
Cá pra mim é o Doce de Morango.
Este doce é muito apreciado por todos cá em casa. Vai bem com pão, tostas, crepes e até para rechear um bom bolo.
Desta vez fiz apenas 2 kg de morangos, mas vou ter de repetir a receita muito em breve, para armazenar para o Inverno. 
Lavam-se bem os morangos e retira-se o pé.
Num tacho com fundo térmico (de preferência) colocam-se os morangos partidos em pedaços, cobrem-se com açúcar e sumo de limão.
Leva-se a cozer durante cerca de 30 minutos e ir mexendo bem com uma colher de pau. 
Retira-se do lume e tritura-se com a varinha mágica até reduzir a puré. Quem preferir deixar pedaços deve optar por triturar apenas um pouco.
Leva-se novamente ao lume para apurar.
Coloca-se o doce em frascos de vidro esterilizados, ainda bem quente.


sábado, 11 de agosto de 2012

Salinas de Rio Maior - Flor de sal



O Ideias Saborosas anda a descobrir terras e sabores do nosso Portugal. Sempre que possível partilharei convosco os sabores da nossa terra.
Numa passagem por Rio Maior decidimos parar para visitar as salinas e comprar sal e flor de sal (ideal para temperar saladas, grelhados e cozidos). 
É claro que não podíamos perder a oportunidade de adquirir este tempero, essencial em qualquer cozinha, para dar sabor aos nossos cozinhados.

E vocês já passaram pelas Salinas de Rio Maior?

Curiosidade...
As Salinas Naturais de Rio Maior, também conhecidas como Salinas da Fonte da Bica, estão situadas no sopé da Serra dos Candeeiros, a três quilómetros de Rio Maior.
São compartimentos – talhos - feitos de cimento ou de pedra, de tamanho variado e pouco fundos, para onde, por regueiras, é conduzida a água salgada que se tira de um poço.
Uma mina de sal-gema, muito extensa e profunda, segundo os técnicos, atravessada por uma corrente subterrânea que alimenta um poço, faz com que a água dele extraída seja salgada, sete vezes mais salgada que a do mar. Da sua exposição ao sol e ao vento e consequente evaporação da água obtêm-se o sal, depositado no fundo dos talhos e que depois é colocado em montes, em forma de pirâmides, para secar até ser recolhido.
O processo é rudimentar e semelhante ao usado nas salinas da beira-mar. Só há diferença no vale pitoresco que as rodeia, no poço, no estilo próprio dos marinheiros (como são conhecidos os homens que trabalham nas salinas), nas casas de madeira e no ar campestre que se respira.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Tarte Delícia de Iogurte



  • 250 gr de açúcar 
  • 100 gr de farinha
  • 50 gr de manteiga derretida
  • 4 iogurtes naturais
  • 2 ovos 
  • Raspa de limão qb
Depois de uma ausência para férias, estou de volta com mais uma receita.
Esta tarte foi feita ainda antes de rumar em direcção ao Zmar (um parque de campismo ecológico situado na costa vicentina) e desapareceu num ápice.
A tarte fica com a textura de uma queijada e é sem dúvida uma delícia de iogurte.

Faz-se assim:
Bater os ovos com o açúcar até obter um creme, juntar os iogurtes (usei iogurte natural açucarado, que faço na iogurteira) e voltar a mexer bem. Acrescentar aos poucos a farinha e envolver bem, juntar a manteiga e a raspa de limão.
Colocar a massa numa tarteira untada e levar ao forno 180º pré-aquecido por 25/30 minutos. Desenformar depois de fria e polvilhar com açúcar em pó.